A região

A Região Metropolitana de Curitiba tem na sua população uma origem étnica diversa, formada em parte por imigrantes europeus chegados na segunda metade do século XIX em diante: italianos, ucranianos, alemães e poloneses entre outros. Com sua cultura e religiosidade, trouxeram consigo a tradição da videira e do vinho. A região, entre os anos 1930 e 1960 foi tomada por parreiras de uvas americanas que compunham a paisagem. Inclusive o brasão municipal de Curitiba contém um ramo de uvas em seu desenho. Nos anos 1970 houve um declínio do cultivo de antigos parreirais devido ao surgimento de pragas e doenças. A retomada ocorreria somente algumas décadas mais tarde, de maneira mais pontual, com uso de novas tecnologias de viticultura, como o uso de porta enxertos resistentes a doenças. De 1998 para cá, os produtores começaram a plantar uvas num microclima considerado desafiador para o cultivo de uvas viníferas. O excesso de umidade e chuva somado aos frequentes dias nublados pode não ser considerado o ideal para viticultura mas tem sido, aos poucos, superado. Ainda, a escolha de trabalhar com uvas de outras regiões paranaenses e de outros estados do sul do Brasil apresenta-se como uma alternativa viável. Apesar dos projetos serem todos novos, os resultados são surpreendentes. Vinhos com qualidade, estilo definido e potencial de guarda.

Se a primeira incerteza na fundação destes projetos foi se a região teria condições de nos brindar uvas sadias e maduras – o que se comprovou – a segunda era se o vinho feito a partir delas aguentaria o passo do tempo. E para nosso deleite eles têm envelhecido bem. Vinhos com cinco, seis anos de idade estão em plena qualidade e ainda vislumbram mais tempo de vida na garrafa, outro sinal muito positivo.

A VINOPAR instiga aos apreciadores a desfrutar da qualidade de nossos vinhos e a conhecer nossas vinícolas.